Pages

domingo, 30 de agosto de 2009

DEUS INCOMODA

Para uns, Deus é uma força cósmica, uma energia poderosa e inexplicável, que emana suas radiações dos confins do Universo. Para outros, Deus criou o mundo, mas hoje está inoperante por não ter impedido que coisas ruins acontecessem, como o Holocausto, o 11 de setembro e a tsunami destruidora na Ásia.
Ainda para alguns, Deus é um ser castrador, que inventou mandamentos, regras e proibições para impedir que gozemos tudo o que há de bom na vida. Já em outro extremo, há os que vêm em Deus uma divindade tão amorosa que Ele não faz conta de nossos erros, tropeços e pecados... é enfim, um “deus bonzinho”, que lá no Antigo Testamento foi severo, mas agora se arrependeu.
Não é difícil perceber que, embora desconheçam da natureza e do caráter divino narrados nas Escrituras, as pessoas estão em busca de uma espiritualidade – qualquer uma – para fruir de suas bênçãos e benesses, mas nem sempre desejam Aquele que originaram elas. O povo tem fome de que? Certamente não é do “Deus de Abraão, Isaque e Jacó”, e nem tampouco de Jesus de Nazaré.
Em primeiro lugar, o povo busca sensações prazerosas. Por isso a avaliação que fazem de nossas reuniões de fé sempre se dá no campo estético: “gostei”, “bonita apresentação”, “bela mensagem”. Ou ainda no campo da sensação: “senti uma coisa gostosa ali”. Sem dúvida que a presença divina pode proporcionar tudo isso, mas um verdadeiro encontro com o Eterno não fica só na sensação: a vida inteira é tocada.É duvidoso afirmar que a maioria das pessoas que procuram uma instituição religiosa ou o auxílio de um pastor, estejam de fato buscando um Deus que reine em suas vidas, que controle seu humor, dirija seus sonhos, e conceda-lhes uma virada existencial. Não! Desde que a igreja atenda alguns de seus problemas pontuais, está tudo bem, e isso por vezes independentemente de qualquer fé em Deus.
Quando vejo nas manhãs frias de domingo igrejas repletas de fiéis, braços levantados, entoando cânticos de vitória, custa-me crer que estejam de fato buscando ao Deus Trino, Santo e Soberano. Vamos comprovar? Eliminem-se as promessas de cura, de emprego, e de resolução de problemas.... e aquele local se esvaziará. Experimente-se num espaço de grande aglomeração de fé alterar o cardápio que será oferecido à multidão, e ao invés de um “encontro de milagres” promova-se ali um estudo profundo da Epístola de Tiago e uma palestra com o tema “Santidade ao Senhor”, e constataremos que todo interesse desaparecerá. Não, não é a Deus que buscam.
Na verdade, poucos querem Deus, pois Deus incomoda.
Ele nunca nos dá nenhuma certeza, a não ser Suas promessas escritas num livro com mais de dois mil anos. Não há apólices, contratos ou qualquer outra segurança que seja visível ou palpável. Neste mundo moderno as pessoas não querem incertezas ou riscos.Como Eugene Peterson observou, Deus incomoda porque esperamos que Ele resolva nossos problemas de caráter e de vícios de forma rápida e indolor. Mas Ele insiste num “programa de recuperação” lenta e gradual.
Deus incomoda porque Ele destrói nossas ilusões religiosas mais sublimes. Foi assim com o povo que seguia a Jesus porque “tinham visto os sinais que ele fazia” (Jo 6.2), mas quando o Mestre começou a mostrar a outra face do Reino essas pessoas abandonaram a fé e já não andavam com Ele. Até os próprios discípulos também foram confrontados: ”Quereis também vós retirar-vos?” (Jo 6.67).
Em outras palavras: o homem que segue a Cristo por uma razão falsa ou errada está iludindo a si mesmo e enganando a Igreja, pois quem os observa presume que este iludido seja um cristão. E não é! (Lloyd-Jones).
As pessoas não se sentem confortáveis com Deus em suas vidas. Elas preferem algo menos temível, como por exemplo, serem simpatizantes da fé e freqüentadoras dos cultos. Por quê? Simples: Deus incomoda, perscruta, atinge, inquire, confronta nossos valores, provoca crise, altera nossa rotina, retira todas as nossas seguranças, substitui o reinado do ego para construir em nós o Seu reino, pede que eu me esvazie, e me “envia” ainda que eu não me ache preparado ou capaz.....Definitivamente é perigoso envolver-se com Deus.
O texto não é meu, e também não consegui encontrar o autor.

domingo, 23 de agosto de 2009

MENSAGENS QUE EDIFICAM

Os próximos dois posts : Não desista de fazer o bem e Derrubando Gigantes, são datados de 2006, encontrei-os hoje enquanto vasculhava antigos escritos, e fui tocado por suas mensagens.
Acredito que toda obra de arte é atemporal - são sempre atuais e nos transmite uma idéia nova, por mais antigas que elas sejam - a palavra inspirada por Deus também o É. São obras de arte divinas para abençoar as nossas vidas, nos trazer novo ânimo e um olhar diferenciado para as circunstâncias da vida, e por isso, resolvi compartilhá-las aqui.
Fazem parte de uma séria de mensagens que colocava em um antigo blog: Mensagens que edificam.
Espero que sejam abençoadoras para você como foram para mim em 2006 e hoje 3 anos depois.

NÃO DESISTA DE FAZER O BEM


23.07.2006

"E Não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo colheremos, [ os frutos de nossos atos ] se não desfalecermos." - Gálatas 6:9


Creio que muitos já saibam de minha admiração pelo Apóstolo Paulo, e mais uma vez, vou usar uma de suas frases para dividir um pensamento com vocês, espero que seja abençoador para sua vida.

Quantas vezes vemos pessoas prosperando, crescendo, se desenvolvendo e sabemos que essa pessoa age por meio da corrupção, fraude, mentira, e nós que procuramos viver uma vida digna, correta, e lutamos para sermos honestos, ficamos como que estagnados, parece que nada vai para frente, e que as coisas não andam ou que nada acontece.
Quem nunca passou por situações assim no trabalho, na escola ?

Muitas vezes dá uma vontade de "chutar o pau da barraca" e literalmente "dar uma de louco" e "parar de ser bobo" e de querer ser o certinho...e fazer o que a maioria faz.

A poucos meses atrás, em meu trabalho houve uma situação assim, em um processo seletivo vimos uma forte concorrente ser desclassificada apesar de ter recebido elogios pelo seu bom desempenho, porque agia com fraude em seu trabalho e ganhou vários prêmios e ainda quase passa para um cargo de chefia.

Mas muitos não são descobertos!
E quando ficamos sabendo de algo assim, dá uma ira, e ficamos pensando o motivo de ainda acreditarmos que ser honesto nos levará a algum lugar.

Paulo, nos traz a tona esse pensamento:

* Não cansarmos de fazer o bem:
Falo isso sem medo de errar, sempre as coisas irão demorar mais para acontecer na vida de quem é honesto e correto, porque o sistema desse mundo é corrupto e ajuda a quem age da mesma maneira. E não podemos nos cansar ou pensar em desistir, temos que persistir em fazer o bem.

* Porque a seu tempo colheremos:
Pode demorar, mais vai chegar...sou testemunha disso.
O melhor é que o premio da justiça não é passageiro, a vitória de um verdadeiro guerreiro tem um melhor sabor e o que conquistamos com luta e suor, é mais precisos que algo que conquistamos sem lutarmos legitimamente.

* Se não desfalecermos:
Mas é bem verdade que muitos desistem nessa caminhada de fazer o bem e esperar. Muitos caem nas garras do engano, do dinheiro facil e perdem o que possuiam de mais precioso, sua integridade, sua ética, sua moral.
E por mais que o prêmio da injustiça seja maravilhosos a primeira vista, o simples fato de lembrar que aquela conquista foi fraudulenta, poderá acarretar num grande remorso ou até mesmo um sentimento de inferioridade ou depressão, pois quem age assim, se vê como incapaz de alcançar algo por meios legais.

Por isso se você está passando por algo assim em sua vida, NÃO DESISTA DE FAZER O BEM !!!
Por mais que o prêmio seja atraente, por mais que as propostas sejam tentadoras, não há nada mais digno que se alimentar do suor do próprio rosto.

E para você que age ou agiu assim, podem nunca te descobrir, mas DEUS vê todas as coisas, até mesmo o mais profundo de seu coração...arrependa-te!!!

Pense nisso,
e BOA SEMANA.

David Santos

DERRUBANDO GIGANTES



17.06.2006

Olá...
Sabe quando passamos por uma situação difícil e pensamos...não conseguirei suportar isso novamente...."acertamos a pedra no gigante mas esquecemos de cortar-lhe a cabeça"...então ele se levanta de novo.

>>> Davi meteu a mão no alforje, e tomou dali uma pedra, e com a funda lha atirou e feriu o filisteu na testa; a pedra lhe cravou na testa, e ele caiu com o rosto em terra. <> 1 Samuel 17:49 <>

Há gigantes que só serão derrotados após nossa segunda atitude, cortar-lhe a cabeça, o que significa que temos que chegar junto, bem perto, subir em cima dele, para que literalmente o nosso inimigo seja posto debaixo dos nossos pés, pois este é o símbolo do triunfo, ter como podium o próprio adversário, pois assim Cristo venceu.

Como diz a palavra de Samuel, Davi apenas feriu o gigante na testa e ele caiu por terra...quantas vezes passamos por situações amedrontadoras, gigantes que parecem que vão nos consumir, e mesmo em meio a muitas dores, medo, sofrimento, permanecemos de pé ...uma traição, uma doença grave, o desemprego, um seqüestro, um assalto violento, seja o que for, e que fica aquele medo de passar novamente pela mesma situação. Significa que você apenas feriu o gigante, mas não lhe cortou a cabeça, pois o que está morto não pode se levantar.

O medo produz tormento, diz o Apostolo João em sua 1º Epistola, e se você tem medo de determinada situação é porque ela está viva em você e ainda te atormenta, e como podemos então cortar a cabeça do gigante?

>>> Pelo que correu Davi e lançando-se sobre o filisteu, tomou-lhe a espada, e desembainhou-a, e o matou, cortando-lhe com ela a cabeça. <> 1 Samuel 17:51 <>

Davi não se contentou em apenas ferir o seu inimigo, ele queria ter certeza de que ele não se levantaria mais, não mais atormentaria e não mais causaria medo, sua atitude foi correr e lançar-se sobre o filisteu e corta-lhe a cabeça.

Não quero que você saia agora correndo se atire em alguém e lhe corte a cabeça...quero que você confie em Deus para que ele julgue a sua causa, para que o próprio Deus corte a cabeça do seu gigante, pois nossa luta não é contra carne e sangue...essa situação vai além do que os teus olhos podem ver.

>>> No amor não existe medo; antes o perfeito amor lança fora o medo.
<> 1 João 4:18 <>


Temos que acreditar que o mesmo que nos deu força, coragem e determinação para vencermos uma vez e permanecermos em pé NÃO MUDOU !
E da mesma maneira nos habilitará a cortar a cabeça do gigante caso ele levante-se uma segunda vez...pois o Eterno não muda (Malaquias 3:6)...e só conseguiremos crer dessa forma se nossa fé estiver plena no amor de Deus.

>>> Porque aquele que nos amou e por isso não poupou seu próprio Filho como não nos dará Ele graciosamente todas as outras coisas?
<> Romanos 8:32 <>


Deus no seu infinito amor por nós a cada dia tem se doado para nos abençoar...seu maior ato de doação foi ter permitido a morte de seu Filho. E Ele continua a nos doar: sol, calor, chuva , alimentos, saúde, ar, etc, isso para os justos e para os injustos.

Como Deus que já te permitiu uma vitoria, agora iria permitir a sua derrota, e ainda por algo que já foi derrubado uma vez através de sua fé nEle.
Seria crueldade daquele que é MISERICÓRDIA !

Por isso seja qual for a situação creia que PELO AMOR DE DEUS o gigante foi decapitado, mesmo que se levante de novo será para própria vergonha, pois cairá mais uma vez.

Passei por uma situação semelhante está semana e vi a manifestação do amor de Deus que não me deixou envergonhado e vi o meu inimigo cair, aquele que me deu pedras para vencê-lo há aproximadamente 7 meses, manteve em minhas mãos as pedras, com as quais o derrubei de novo mas PELO AMOR, colocou em minhas mãos a ESPADA e meu inimigo agora foi vencido de vez.

Creia no AMOR de Deus por você...Ele nunca falha !!!

Pense nisso, se apegue nisso, ponha sua fé nisso...
e seu inimigo certamente cairá !

Esta é uma palavra que quero colocar sobre a sua vida está semana...
"Deus entregará em suas mãos o seu inimigo e você viverá essa vitória"


BOA SEMANA


David Santos....com amor

sábado, 22 de agosto de 2009

A RESPONSABILIDADE DO CRISTÃO III


Quero iniciar esse post com algumas palavras de C.S Lewis, que extrai de um vídeo, onde ele fala de oração e mudança interior. Segue:

“A vida cristã é simplesmente um processo de ter o seu caráter natural transformado em um caráter de Cristo, e este é um processo continuo. Os desejos mais privados e pontos de vista de alguém são as coisas que tem que ser mudadas. É por isso que os incrédulos reclamam que o cristianismo é uma religião muito egoísta e esta sempre pensando apenas em seu próprio umbigo, ao inves de pensar na humanidade.


O que um sargento diria a um soldado que tinha um rifle sujo e quando mandou limpá-lo, respondeu: Mas sargento não é muito egoista e morbido, estar sempre limpando o interior do seu próprio rifle, ao inves de pensar nas Nações Unidas? Não é preciso pensar muito na resposta do Sargento, mas entende-se que esse homem não será muito útil para as Nações Unidas se seu rifle não estiver pronto para atirar.


Da mesma maneira, pessoas que ainda estão agindo pelos seus antigos carateres naturais não farão um bem real e permanente para as outras pessoas. Enquanto o caráter antigo estiver lá, sua mancha estará sobre tudo o que fizermos: nós tentamos ser religiosos e nos tornamos farizeus.


A cura real é mais profunda, não está em nós, mas em Cristo, e ela não acontecerá de repente, eu devo admitir que para a maioria dos cristãos será apenas o começo até o fim de nossas vidas.” - Extraído do audio “Documentário C.S Lewis” – You Tube.

Quero enfatizar que creio que esse processo de mudança interior é espiritual e que foi consumado através da obra redentora de Cristo, mas também creio que temos parte neste processo, somos co-responsaveis pela nossa santificação e transformação.

Infelizmente o que vemos, são pessoas preocupadas com a “vida abundante” aqui na terra, onde somos apenas forasteiros, do que em ter uma vida transformada que reflita Cristo e assim impacte outras pessoas. A vida cristã se resumiu a ir a igreja e ter muita riqueza terrena. Mas lembre-se que nosso alvo é ser a imagem e semelhança de Cristo.


Vamos ao que Paulo escreveu:

“ Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena (...) agora, porém, despojai-vos, igualmente de tudo isto (...) uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos e vos revestistes do novo homem (...).” - Colossenses 3: 5-11.

Não sei para você, mas fica claro para mim, que Paulo lança a responsabilidade de santificação e mudança de conduta para os cristãos. Ele não diz: Aguarde Deus completar a obra em sua vida, se preocupe com outras coisas, pois isso somente Ele fará; mas se expressa utilizando verbos de ação, direcionando-os aos irmãos, como que querendo dizer: Cristo já consumou sua obra no seu espirito, agora está em suas mãos, aja!


Isso nos remete a uma frase de Jesus aos seus discipulos, quando estava orando no jardim do Getsêmani, pouco antes de ser preso. Imagine Jesus já ciente no espirito de tudo o que aconteceria, ciente das promessas de Deus e de sua fidelidade, mas, na sua carne, temendo e tremendo, pensando em desistir. Então ele diz: O espírito, na verdade, está pronto; mas a carne é fraca – Mateus 26:41b.

Entendo que ele queria dizer, vocês precisarão tomar uma atitude, vigiar e orar, pois a minha obra será feita, não vou desistir, mas a carne é fraca, por isso deverão tomar cuidado com ela.

Voltando a Paulo, analisemos suas palavras:

Fazei morrer:
A maneira mais facil de fazer algo morrer é não dar condições para a sua sobrevivência.
Uma árvore para se manter viva, precisa ter suas raizes firmadas num solo bem regado, onde estejam disponíveis todos os nutrientes e também necessita da luz solar para realizar a fotossíntese.


Fica claro que a maneira mais fácil de matar uma árvore é extraindo-a do solo e evitando que tenha acesso a luz solar. O que podemos entender aqui é que Paulo está dizendo, não alimente a vossa natureza terrena.


Se você tem tendências alcoolatras, não beba nada que contenha o mínimo teor alcoolico; Se você é um viciado em pornografia, evite bancas de jornais, filmes que contenham cenas de sexo, novelas, sites, músicas sensuais, etc; Se você tem compulsão por compras, ao ir a um centro comercial não leve talões de cheque, cartões ou dinheiro extra;


Tire essa árvore do solo!


A idéia é não dar lugar para que aquele apetite seja satisfeito, é fugir como fez José. Percebe-se que as roupas do rapaz ficaram nas mãos da mulher de Potifar - ainda bem que ele percebeu a tempo o que estava fazendo.


Nós, porém, temos a tendência de alimentar nossos desejos colocando-os na luz do sol, deixando-os esquentar até o ponto de não termos mais controle. Deus alertou a Caim sobre esse perigo dizendo: O seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo – Genesis 4:7b.


Leve essa árvore para um lugar escuro!

Despojai-vos:
Despojar significa privar da posse;
Nas escrituras uma pessoa era privada de seus bens – despojada – quando vencida numa batalha.


A idéia de Paulo aqui é justamente essa, na batalha da carne contra o espírito, precisamos ser vencidos pelo espírito que já está pronto e então despojar-nos de todos os bens da carne (concupiscencia da carne, dos olhos e a soberba da vida).

Paulo ainda diz que já nos despimos do velho homem, despir é ficar nú, e numa guerra, os vencidos era levados nus para a terra onde seriam escravos, isso era sinal de vergonha.
Paulo está dizendo que aceitamos a obra de Cristo e ao invés de ficarmos nús e envergonhados, nos foram dadas outras vestes, estas do novo homem, capacitando-nos para sermos a imagem de Cristo.

Voltando a C.S Lewis, o processo de santificação e mudança interior, também depende de nós, não acontecerá de repente como um passe de mágicas como nos desenhos de walt Disney. Precisamos limpar nossos rifles, deixando-o sempre pronto, e essas atitudes solicitadas por Paulo não serão isoladas, são atitudes continuas e conjuntas. Precisamos continuar crendo na obra redentora de Cristo, e continuar declarando a palavra, e continuar orando, jejuando e vigiando, e continuar fazendo morrer a velha natureza e se despojando de todos os seus bens...todos os dias até que num abrir e fechar de olhos, seremos transformados.

Limpe seu rifle diáriamente, tire a árvore do solo, tranque-a num lugar escuro, faça o que precisa ser feito por você, pois a parte de Deus já está consumada.

Pense nisso e Deus abençoe.

domingo, 16 de agosto de 2009

INSPIRAÇÃO

Inspiração: Movimento pela qual o ar entra nos pulmões; idéia de pensamento que nos vem de repente. Inspirar: Introduzir ar nos pulmões; fazer sentir, incutir, infundir, incitar, animar. (Dicionário Brasileiro Globo)

Podemos perceber na definição da palavra, que a inspiração no homem, não passa de um movimento mecânico pela qual o ar entra em nossos pulmões.

Mas como sempre quero discernir espiritualmente, e esse simples ato mecânico foi “inspirado” por Deus. A primeira inspiração foi acionada pelo Pai, quando soprou nas narinas de Adão o fôlego de vida.

“Então, formou o Senhor Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente” – Genesis 2:7

Mas inspirar também tem outro sentido, um sentido artístico (se é que posso me utilizar desta expressão), algo inexplicável que acontece de repente, e traz a existência o que não existia, ganhando forma e vida.

Através da inspiração divina o homem passou a ser “alma” vivente, e é senso comum que a alma é a responsável por nossas emoções, sentimentos, ânimo, vontades. Podemos entender que até a inspiração artística, seja ela qual for, também é divina, causada pela primeira – a que nos torna alma vivente – capaz de sentir, se motivar, pensar, criar, etc.

Componho desde os meus 19 anos, e para mim foi uma experiência espiritual - não o momento da composição - mas o momento anterior. Estava orando numa tarde e senti naquele dia Deus falando claramente ao meu coração, e após aquele momento na presença doce do Pai, eu compus. E desde então, essa inspiração surge em momentos diferentes: no ônibus, metro, no banho, no trabalho, até dormindo; mas poucas vezes durante um período de oração.

Será que por isso minhas músicas não são espirituais?

E é engraçado como alguns cristãos elevam a inspiração ao nível de “dom espiritual” ou a algo tão sobrenatural que as músicas de determinados artistas tornam-se verdadeiros mantras e se no culto aquela determinada canção não for executada, não foi culto.

Vi dias atrás no Pavablog um vídeo onde um bispo norte-americano, em um dos seus cultos, canta uma música não cristã para expressar seu amor por Jesus - achei bárbaro - pois as vezes me vejo cantarolando algumas músicas que não possuem uma conotação cristã explicita, não foi composta por cristão declarados (mas por pessoas que receberam a primeira inspiração) e essas músicas expressam claramente o sentimento da minha alma por Jesus naquele instante.
Que me perdoem os artistas cristãos.
E aos irmãos que vêem o diabo até na fechadura da porta, me perdoem por utilizar um dicionário da Globo era o único disponível.
E MUITO OBRIGADO a estes artistas divinamente inspirados!!!

Vamos as músicas:

Velha InfânciaTribalistas (Arnaldo Antunes/ Carlinhos Brown / Marisa Monte)

Você é assim, um sonho pra mim, e quando eu não te vejo,

eu penso em você, desde o amanhecer, até quando eu me deito,

eu gosto de você, e gosto de ficar com você,

meu riso é tão feliz contigo, meu melhor amigo é o meu amor

E a gente canta, e a gente dança, e a gente não se cansa,

De ser criança, a gente brinca, na nossa velha infância

Seus olhos meu clarão, me guiam dentro da escuridão

Seus pés me abrem o caminho, eu sigo e nunca me sinto só.

video

Versos SimplesChimarruts (Cassiane Silva / Richardson Maia)

Sabe, já faz tempo que eu queria te falar, das coisas que trago no peito

Saudade, já não sei se é a palavra certa para usar, ainda lembro do seu jeito

Não te trago ouro , p
orque ele não entra no céu

E nenhuma riqueza deste mundo

Não te trago flores, porque elas secam e caem ao chão

Te trago os meus versos simples, mas que fiz de coração


video

Nós cristãos poderíamos ser objetivos em nossas declarações de amor ao Senhor Jesus...com versos e melodias simples, mas que falem ao coração.

"Todas as coisas são puras para os puros; todavia, para os impuros e descrentes, nada é puro. Porque tanto a mente como a consciência deles estão corrompidas." - Tito 1:15

Pense nisso e Deus abençoe!

sábado, 8 de agosto de 2009

A RESPONSABILIDADE DO CRISTÃO II - Paz e Santificação

Gosto muito de fazer as pessoas pensarem, examinar todos os lados da moeda, as pessoas me acham um pouco (muito) critico e detalhista. Acredito que mesmo em relação a nossa espiritualidade não podemos ser parciais, temos que nos aprofundar e entender a Bíblia de todas as maneiras possíveis. Gosto muito quando Paulo diz que a pessoa espiritual discerne todas as coisas, e pensando nisso, em um Culto Diferente, propus aos irmãos um desafio de elevar uma passagem bíblica a um enfoque diferenciado.

Veja no que deu:

“Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” – Hebreus 12: 14.

Entendemos essa passagem bíblica como sendo um meio para chegarmos ao céu e lá nos encontrarmos com Jesus. De maneira bem simples pensamos: Quem quer ver Jesus? Então siga a paz e se santifique.

Então, quis elevá-la um pouco fazendo os cristãos pensarem:

- E se o escritor quisesse dizer outra coisa?
- E se estivermos equivocados?
- Mas o que ele realmente quis dizer?

Leia o versículo novamente:

Segui a paz e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.

Conseguiu descobrir?

É isso que acontece quando não queremos assumir a nossa responsabilidade, por mais que simplifiquem ou expliquem, a verdade não entra em nossa cabeça.

A finalidade do homem é ser a imagem e semelhança de Deus – Genesis 1:26 – e toda rota indevida ou atalho pego neste processo é pecado, um erro de alvo.

Satanás ao seduzir e enganar a Eva utilizou-se desse artifício: Se comer do fruto será como Deus!
E como Eva não foi paciente e perseverante o bastante na caminhada que Deus tinha proposto a ela, pegou um atalho e comeu do fruto, assim como Adão.

Satanás ao tentar Jesus no deserto, usou dos mesmos artifícios e quis fazê-lo pegar atalhos para receber a glória que o Pai lhe concederia quando cumprisse sua obra. O escritor de Hebreus afirma que ele a cumpriu: “Ele é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser.” – Hebreus 1:3ª. E sabemos que o Senhor não pegou atalhos, mas cumpriu TUDO e declarou: Está Consumado!

E o que permitiu que Jesus cumprisse a sua obra foi a santificação.
Sua vida sem pecados, permitiu que a glória do Pai se manifestasse em sua vida e que as pessoas o reconhecessem como a “imagem e semelhança do Pai”.

Quando o escritor de Hebreus diz “siga a paz e a santificação sem a qual ninguém verá o Senhor”, está nos alertando que as pessoas – o mundo – só nos verão como o CORPO DE CRISTO, a manifestação da sua glória e do seu Ser, quando seguirmos a santificação e a paz com todos.

Pergunto:
O que as pessoas estão vendo em você? A imagem de Deus ou a aparência do mal?

Por muito tempo os “crentes” acharam que nossa diferença do mundo estava em coisas exteriores, como roupas, cabelos, e nos encheram de regras como não manuseies isto, não proves aquilo, não toques aquiloutro, porém Paulo declara aos cristãos colossenses que, com o tempo e uso, tudo isso se destrói, além de não possuir efeito nenhum sobre a sensualidade – Colossenses 2: 20-23.

Já não é de hoje que os cristãos são taxados como pessoas chatas, que se acham melhores do que as outras e sempre que entramos em algum debate, não conseguimos promover a paz e sim trazer mais confusão, pois não sabemos expressar a verdade em amor, além sermos pessoas acusadoras e insensíveis: que queimem no inferno os pecadores, porque EU estou salvo!

E está na hora de percebermos que, o que precisa ser mudado é o nosso interior, as vestes espirituais, e isso não é mudado com regras impostas, mas por uma obra do Espírito de Deus e por nossa perseverança. Porque quando o Cristo for levantado, atrairá a si, muitas pessoas.

Quando nosso interior for restaurado pela verdade da palavra, quando perseveramos em seguir a paz e a santificação e colocarmos a vontade de Deus em primeiro lugar, como Jesus declarou: minha comida consiste em fazer a vontade do Pai (João 4:34), somente quando isso acontecer as pessoas verão em nós a glória do cristo ressurreto.

Pense nisso:
O que as pessoas estão vendo em você? A imagem de Deus ou a aparência do mal?


Assista o vídeo abaixo e Deus abençoe.

video

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

IMPACTOS DA MÁ POSTURA DO CRISTÃO

Após ler esse post, leia o próximo - RESPONSABILIDADE DO CRISTÃO - tem tudo a ver.

Por que você saiu da igreja?

Minha resposta à pergunta que me fizeram à queima-roupa.

"Interessante, meu amigo. Há muitos anos, quando participei de uma pequena e auto-proclamada comunidade-igreja, notei que alguns davam muita ênfase aos dons, profecias, outros a palavra, estudos teológicos e academicismos.


Era um tal de "declaro isso na sua vida", "declaro prosperidade", "declaro saúde", declaro e por aí vai.Convivendo um pouco mais, cheguei a conclusão de que havia muita palavraiada, muitas profecias, muitos sonhos e visões, mas o fulano-interpretação de sonhos continuava com os gatos no seu comércio, sicrano-falador de línguas fazia rolos e factoring dos cheques recebidos dos seus clientes, beltrano-estudioso do apocalipse fazia assédio moral no trabalho, a ungida-conselheira era uma obesa pré-mórbida e a maioria-arquibancada-que-gemia-e-chorava-nos-louvores estourava cartões de crédito com a maior naturalidade e sonegava impostos com a desculpa pronta de que o Governo era mais ladrão.


Um dia perguntaram pra mim, a "irmã que nunca dizia nada", se eu tinha algo a declarar para os irmãos.


Me cansei e disse: "Menos dons e mais caráter, gente!"


Imagine a cara com que fui fuzilada...Aí saí de lá.


Postado originalmente no Pavablog em 04.08.2009 por Timilique.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

CRIANÇAS VEEM, CRIANÇAS FAZEM

video

A RESPONSABILIDADE DO CRISTÃO

O vídeo acima mostra claramente o estrago que uma má atitude pode trazer na formação de uma criança. Muitos hábitos são aprendidos pela observação e o cristão precisa ter em mente que é observado em todo momento, tanto pelos de fora, como pelos irmãos da fé, e que com isso, podemos ministrar salvação ou destruição para aqueles a quem o Espírito Santo está convencendo. Sendo assim precisamos ser irrepreensíveis para não formarmos uma igreja “deformada” em seu caráter e conduta.


A partir deste vídeo fizemos uma séria de estudos sobre a conduta cristã e seus impactos na vida do não-cristão e do novo convertido, o que infelizmente deixou de ser ministrados na maioria dos templos cristãos, e isso já faz um tempo, e os resultados disso tem sido colhido.


“Vós sois a nossa carta...conhecida e lida por todos os homens.” - 2 Coríntios 3:2


Não quero usar texto fora do contexto, e uma outra coisa que não quero, é ser manipulador da palavra, mas quero trazer um pensamento que esta implícito nesta mensagem de Paulo. Ele eleva a responsabilidade da confirmação de seu ministério aos cristãos de Corinto, e o que quis ministrar no Culto Diferente com essa passagem e vídeo foi a nossa responsabilidade na confirmação do evangelho como poder de Deus para transformar e salvar vidas. As perguntas que dirigiram a mensagem foram:


Qual o conteúdo da sua carta?
O que estão lendo ao olhar para você?


Paulo em suas duas epístolas aos cristãos de Corinto deixa claro a preocupação que os cristãos devem ter com o que comunicam às pessoas através de suas atitudes, pois, muitas vezes, as atitudes podem contradizer o discurso, e a mensagem se torna vazia, como o discurso dos farizeus.

Ele diz: Não vos torneis causa de tropeço nem para judeus, nem para gentios, nem tampouco para a igreja de Deus, assim como também eu procuro, em tudo, ser agradável a todos, não buscando o meu próprio interesse, mas o de muitos, para que sejam salvos – 1 Coríntios 10: 32 – 33.


O mundo espera de nós uma conduta diferenciada, espera evidências da presença de Deus, espera palavras de esperança e vida, e o que temos comunicado?


Você já se perguntou o motivo pela qual os moradores de Antioquia chamaram os discípulos de “pessoas de Cristo” ou cristãos?


Temos um modelo de conduta a seguir, alguém a imitar, porém ouvimos as pessoas dizerem: Irmão não olhe para o homem, olhe para Jesus! – concordo em gênero, número e grau: Nosso padrão é Jesus, mas existe um porém.


Se nos chamamos discípulos de Jesus, de cristãos, temos que ter em mente que o alvo de todo discípulo não é somente saber o que o seu mestre sabe, mas ser exatamente como o seu mestre (Rob Bell em Repintando a Igreja – pag 150).


E infelizmente essa história de olhar apenas para Jesus se tornou uma desculpa para que possamos andar de maneira desregrada, para não darmos valor e nem cultivarmos as virtudes e sua prática. Esquecemos que a carta que o mundo lê hoje são os cristão - SOMOS NÓS - e toda a criação aguarda a manifestação dos filhos de Deus.


Veja alguns dados importantes:
- Estudo realizado pelo Instituto Barna Research Group diz que: 24% de adultos não cristãos nos Estados Unidos estão ou já se divorciaram, contra 27% de adultos que se consideram cristãos “nascidos de novo”.
- A ONG Casa de Isabel que atende mulheres vitimas de violência, informa que 90% dos casos de agressões são provenientes de lares cristãos.

As pessoas esperam posturas e atitudes diferentes daqueles que professam ser cristãos, mesmo aqueles que nunca leram a Bíblia e não sabem o que ela diz acerca disso. Quem nunca ouviu a frase: E depois diz que é cristão!


É vergonhoso ouvir isso, pois aqueles que foram chamados de EKKLESIA “chamados para fora” estão vivendo como se ainda estivessem dentro, estão preso aos padrões do mundo, conformados com uma vida medíocre.


Alguns ainda quando pegos numa situação vexatória dessas, justificam que é o diabo, nosso acusador que está se levantando, e realmente está, pois, se a sua conduta de vida estivesse refletindo a Glória de Jesus e suas atitudes proclamando o Reino de Deus, ele não teria como abrir o bocão, a não ser para levantar calúnias.


Ai você pode estar pensando: “Eu não preciso alcançar a expectativa de ninguém!”. Concordo que não devemos viver em função da expectativa alheia, mas temos por obrigação viver em função da expectativa da palavra de Deus.


Quando Jesus disse: importa-vos nascer de novo, não tratava de uma simples mudança, mas de algo superior, que iniciaria em nosso espírito e transbordaria para nossos PENSAMENTOS, SENTIMENTOS, ATITUDES E PALAVRAS.


Para finalizar, algumas qualidades de caráter que precisam ser cultivadas pelos cristãos: paciência, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio, temperança, sensatez, honestidade, linguagem sadia, obediência, comprometimento, pontualidade, cordialidade e mais algumas coisas que podemos dizer, fazem parte do caráter de alguém que foi bem educado.


E pense nisso:
Uma pessoa pode ir a igreja duas vezes por dia, participar da ceia do Senhor, orar em particular o máximo que puder, assistir a todos os cultos e ouvir muitos sermões, ler todos os livros que existem sobre Cristo. Mas ainda assim tem que nascer de novo.
John Wesley (1703 – 1791)



Deus abençoe.

sábado, 1 de agosto de 2009

SINAIS DE CONVERSÃO

“E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos. Todos os que creram estavam juntos e tinha tudo em comum. Vendia as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade. Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.” – Atos 2: 42 – 47

Há alguns dias, ministramos essa passagem, cujo título na minha Bíblia diz: “Como viviam os convertidos” [Bíblia Shedd], iniciei introduzindo sobre o título, pois ele é muito significativo nesta passagem, pois o que se lê após ele é a descrição do modo de vida dos primeiros convertidos e um sinal para nós da Igreja do século XXI. E a pergunta que conduziu a ministração foi: Somos realmente convertidos?

Não quis fazer do texto regra geral para determinar a conversão de um indivíduo, mas trazer luz e comparar com a atual situação dos chamados “convertidos”.

Perseveravam na doutrina dos apóstolos:

Quando falamos de perseverança, pensamos em um esforço para atingir um objetivo ou mesmo constância no propósito, e fica claro que assim como hoje, mesmo na igreja primitiva, não era fácil viver de acordo com a palavra de Deus. Seguir a vontade de Deus requer esforço contínuo, como disse Jesus: a porta e o caminho são estreitos, mas conduzem a vida.

Quantos de nós já não ouviu o pastor perguntar no culto de Terça o que foi ministrado no Domingo, e menos de meia dúzia de irmãos responderem. Já se perguntou o motivo?

Jesus é bem claro quando afirma que aquele que ouve as suas palavras e não as pratica é semelhante ao homem que edificou a casa sobre a terra sem alicerces, e vindo contra ela o rio, logo desabou (Lucas 6:49) e também Tiago nos adverte que aquele que apenas ouve a palavra e não as pratica, engana-se a si mesmo. O termo para ouvinte nesta frase em Tiago 1:22 é AKROTAI, termo grego usado especialmente para aqueles que assistiam aulas mas não se tornavam verdadeiros discípulos.

Fica evidente que a prova de que aprendemos aquilo que ouvimos é a pratica, como na teoria das competências, em termos de Gestão de Pessoas, o famoso CHA: conhecimento, habilidade e atitude.

Adquirimos o conhecimento por meio da leitura e de ouvir a palavra; aprendemos como colocar em prática ou adquirimos a habilidade, através da explicação do texto, da meditação, o que o torna mais prático, vivencial (pelo menos é o que se espera de uma ministração) e a atitude é o momento em que nos vemos forçados pelas circunstancias a colocar em prática aquela linda pregação de Domingo, e é ai onde falhamos.

E é fato, e bíblico, que só a prática conduz a perfeição, e vou precisar de perseverança para lutar contra as minhas vontades e ficar firme no propósito de praticar a vontade de Deus, e assim, glorificá-lo.

Tiago afirma que “a perseverança deve ter ação completa, para que sejamos perfeitos e íntegros, em nada deficientes” – Tiago 1:4.

Mas não é isso que temos visto por ai, presenciamos “convertidos” com atitudes muitas vezes pior que a dos incrédulos; são mentirosos, arrogantes, invejosos, vingativos, usam palavras de baixo calão, falta-lhes educação, cordialidade, simpatia, amabilidade, etc [isso para não ser duro].

O pastor não tem coragem de corrigir, para não perder a ovelha, e ainda ouvimos a belíssima frase: “É Deus quem faz a obra”. Porém nos esquecemos que, a responsabilidade de praticar a palavra é TODA NOSSA.

Perseveravam na comunhão, no partir do pão e nas orações:

Entendo que aqui, o autor está falando de Relacionamento, a capacidade de conviver ou comunicar-se com seus semelhantes, condicionada por uma série de atitudes recíprocas, que é uma das bases da igreja como Corpo de Cristo e Família de Deus.

Por não colocar em prática a palavra e ainda ter algumas atitudes mundanas, o maior problema para o “convertido” é estar com os irmãos.

A nossa desculpa para mantermos certa distância, é não querer ninguém se intrometendo em nossa vida ou mesmo, evitar os fofoqueiros ou invejosos. Quando na verdade é a falta de amor e o fato de não reconhecermos que estamos todas na mesma caminhada, uns mais a frente e outros ainda iniciando e que, precisamos em amor dar suporte aos irmãos e nos exortar a santidade, só assim iremos crescer em Deus.

E por isso adoramos freqüentar mega-igrejas, no intuito de evitar qualquer contato mais próximo com os outros “convertidos”, pois nelas dificilmente encontraremos a mesma pessoa no próximo culto.

Para existir comunhão é necessário ter algo em comum, algo que se deseja compartilhar ou vivenciar. O que temos em comum e o que nos une como igreja, são os aspectos espirituais: em que cremos e a que princípios seguimos – um só Senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e Pai de todos.

O partir do pão fala de refeição, do momento em que as famílias se reuniam em torno da mesa e compartilhavam o seu dia. Uma das maiores funções da refeição coletiva é consolidar o grupo, reforçando laços sociais.

E o momento que nos elevamos a tal ponto, que todas as diferenças se perdem na necessidade de experimentarmos a presença de Deus, é o momento da oração, onde reconhecemos que nada podemos em nós mesmos e somos todos dependentes d’Ele.

Observamos aqui a necessidade de não permitir que nossas muitas diferenças – como seres humanos - se tornem motivos de separação. E é importante também perseveramos para mantermos essa unidade, segundo o apóstolo Paulo, temos que nos esforçar por preservar a unidade do Espírito (Efésios 4:3).

Em cada alma havia temor; e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédio dos apóstolos:

Existe na Bíblia, mais de 25 expressões que enfatizam a importância do temor, ele não está associado a medo ou pavor irracional, e sim, a respeito e reverência.

Os judeus reconheciam a grandeza de Deus, reconheciam os fatos históricos que levaram Israel a perecer no deserto, e isso era motivo de grande temor. Como nos adverte o escritor do livro de Hebreus, que as palavras faladas por anjos se tornaram firmes e a desobediência recebia justo castigo, como escaparemos se negligenciarmos a tão grande salvação? (Hebreus 2:2-4).

E esse parece ser um dos grandes impeditivos para a manifestação de prodígios, sinais e milagres em nosso meio: não praticarmos a palavra e não perseveramos em criar relacionamentos sinceros e isso não somente o povo, como também os sacerdotes, que se acham superiores e mantém distancia do povo (O que querem esconder?).

Fica claro aqui que existe uma integração entre milagres, temor, cumprimento da palavra e a unidade no Espírito, como se fossem fatores determinantes para a manifestação do Espírito Santo.

Todos os que creram estavam juntos e tinham tudo em comum. Vendiam as suas propriedades e bens, distribuindo o produto entre todos, à medida que alguém tinha necessidade.

Não sou socialista, e acredito que Deus também não seja, porém vemos em toda a Bíblia, o Senhor dando meios para que a pobreza excessiva seja amenizada no meio de seu povo. Veja as referências: Leviticos 25: 8 – 34 – O ano de Jubileu; Deuteronômio 15: 7 – 11 – Leis a favor dos pobres; 2 Coríntios 8: 1 – 15 – A oferta da Igreja para os pobres da Judéia.

O que vemos hoje, por conta da Teologia da Prosperidade ensinada da forma mais absurda, muitos se convertendo apenas por conta da possibilidade de melhorar de vida, tornarem-se empresários, ver o sonho da casa própria realizados, etc.

Esquecemos de juntar tesouros onde a traça e a ferrugem não corrói, para adquirir bens e riquezas passageiras, o mais importante é TER, ao invés do SER.

Quero deixar claro que o erro é a inversão de valores, deixamos de buscar as coisas espirituais, para buscar uma vida “abundante” de bens e riquezas terrenas, queremos ser cabeça, estar por cima, e se para isso for necessário deixar de lado princípios elementares da doutrina cristã como o amor, a bondade, e a abnegação, será feito.

Enquanto isso sentamos no templo ao lado de irmãos que estão com fome, sede, frio, padecendo necessidades vitais e dizemos: Eu te amo irmão, com o amor de Jesus! Mas, não temos olhos para perceber seus pés descalços, seus pelos arrepiados de frio e não temos ouvidos para ouvir seu estômago clamar por comida.

Os sacerdotes se preocupam mais em construir templos recheados de ouro e da mais alta tecnologia, enquanto seus irmãos padecem de necessidades básicas.

Testemunhos e mais testemunhos de benção financeira, e nenhum testemunho de transformação de vida ou de caráter.

Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa e tomavam suas refeições com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo.

Hoje quando realizamos cultos, seja onde for, infelizmente não é para contar com a simpatia do povo, mas para irritar os vizinhos. O som alto, a gritaria, o jeito esnobe de alguns “convertidos”, o preconceito com os não-cristãos, são algumas características dos convertidos de hoje e que são o estopim para frases como essa: Para ser crente como este, prefiro ir para o inferno!!

Simpatia é o fenômeno de despertar nas pessoas o desejo de ser de algum modo semelhante ao outro.

A vontade de estar juntos e de compartilhar a fé era tão grande e necessária, que além do templo, os convertidos se reuniam de casa em casa: uma alegre festa americana, das quais os vizinhos queriam participar, era algo agradável e convidativo.

Dia desses uma colega de trabalho comentou que vinha no trem, e alguns crentes começaram a cantar, dar seus testemunhos e a pregar, e isso era umas seis ou sete da manhã. Particularmente eu, durmo na condução a caminho do meu trabalho, levanto às 5h15 da manhã e levo quase duas horas no ônibus e me incomoda o fato de pessoas ouvirem música sem o fone de ouvido, seja ela música cristã ou não, o que além de crime é uma falta de respeito para com o próximo.
Fiquei imaginando os não-cristãos daquele vagão, também querendo dar um cochilo, muitos que estudam e foram dormir após a meia-noite, e os “convertidos” gritando dentro do trem, pregando fogo e enxofre.
Com toda certeza as pessoas não se interessaram pela mensagem, pois a maneira com que ela foi levada não foi convidativa, não foi agradável e sim irritante e em momento inoportuno.

Se notar, muitas pessoas atravessam a rua para não passar em frente ao templo, pois nossas reuniões deixaram de ser convidativas e nosso modo de vida, não conquista a simpatia do povo.

Os pecadores e cobradores de impostos gostavam da presença de Jesus e isso para os religiosos eram motivo de inveja e perseguição.

Por qual motivo os não-cristãos não se sentem confortáveis em nossas reuniões?

Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.

Chegamos ao cume da ministração, o motivo pela qual a comunidade de cristãos crescia.

Nota-se que um conjunto de fatores determinava a presença de Deus no meio do povo e isso permitia que o Espírito Santo atuasse nos corações incrédulos, convencendo-os do pecado, da justiça e do juízo. São eles:

- Cristão maduros, praticantes da palavra;
- Relacionamento sincero entre o povo que culminava na unidade do Espírito;
- Assistência aos necessitados;
- Reuniões convidativas e inclusivas.

VOCÊ CONSEGUE VER ALGUMA SEMELHANÇA COM O MODO DE VIDA DOS CONVERTIDOS DE HOJE?


Pense nisso e que Deus abençoe a todos.